Por que o seu sono influi no seu peso?



Você já parou pra pensar quantas horas por dia tem dormido? E este sono, tem qualidade? Pesquisas apontam que as pessoas estão dormindo menos e com menor qualidade. Isto é influência do mundo moderno, em que há prazos rigorosos a serem cumpridos e muitas vezes o trabalho acaba se estendendo além do expediente. Ou ainda, pelo tempo gasto no trajeto casa / trabalho, que faz com que se precise acordar muito cedo e os afazeres domésticos impedem de ir dormir mais cedo. Há também outros fatores como stress, insônia, acúmulo de atividades, como estudo e trabalho, jornada dupla de trabalho, ou também aqueles que trabalham no período da noite e não conseguem dormir com qualidade durante o dia. Vários estudos epidemiológicos e experimentais confirmam haver relação entre a diminuição de horas de sono e o aumento do risco de obesidade. Eles apontam que um menor tempo dormindo resulta em alterações metabólicas e endócrinas, como a diminuição da tolerância à glicose e da sensibilidade à insulina e também desequilíbrio dos hormônios que regulam o apetite que resultam em um aumento do mesmo, e consequentemente, um maior risco de desenvolver a obesidade. Ocorre que, a grelina, um hormônio orexígeno (que promove a fome) aumenta após a restrição de horas dormidas, enquanto que a leptina, um hormônio anorexígeno (que contribui para a percepção da sensação de saciedade) diminui. Com isso o indivíduo tende a ingerir uma maior quantidade de alimento. Além do que, a redução da leptina também contribui para a diminuição do gasto energético corporal. E quanto menos calorias se gasta, mais chances de se acumular o excesso em forma de gordura. Dormir é um processo restaurativo do cérebro, e isso se reflete tanto na saúde mental quanto na física, por isso, dê atenção e importância ao seu descanso. E para quem quer uma ajuda através dos alimentos, aí vão algumas dicas de alimentos que ajudam e outros que atrapalham na hora do sono. Evite: café, chá mate (inclusive o chimarrão), chá verde, bebidas energéticas, guaraná, chocolate ou alimentos que os contenha, refrigerantes à base de cola, carne vermelha, alimentos gordurosos, frituras e bebidas alcoólicas. Prefira: chás calmantes (camomila, capim limão, maçã, maracujá), sucos de frutas naturais, iogurte, leite, peixe ou frango, cereais integrais, oleaginosas, feijão preto, tâmaras, banana, semente de linhaça, shitake, brócolis, vegetais folhosos verde escuros, como espinafre, rúcula, couve, acelga e almeirão. Cuide do seu sono e tenha uma vida muito mais saudável. Fonte: Folha da Mulher