Benefícios da musculação para mulheres idosas



Em nosso cotidiano nos deparamos a todo momento com imagens e textos relacionados aos males do mundo moderno.  E ao mesmo tempo, vemos a importância da atividade física para o bem-estar e qualidade de vida. Sabemos que, seja ela qual for, desde que bem orientada, promove benefícios à saúde. Além da vida saudável proporcionada a curto prazo, a atividade física retarda os aspectos biológicos atribuídos à chegada da terceira idade. O envelhecimento é inevitável, porém, os hábitos adquiridos pelo indivíduo no decorrer da sua vida podem minimizar os efeitos desse processo em nosso corpo. Nossa sociedade em geral tem uma visão um tanto quanto conservadora e enxerga as nossas velhinhas com certo ar de fragilidade, não que isso não seja verdade, pois elas merecem alguns cuidados especiais. Contudo, observamos que por conta disso à medida que envelhecem as mulheres se tornam cada vez menos ativas e com a ideia equivocada de que o “esforço” é somente para as jovens. E é aí que está o grande problema. Já é natural que com a menopausa e após os 50 anos de idade a força muscular reduza em torno de 15% por década, e em idosas sedentárias esse índice pode se tornar ainda maior, além de vir acompanhado de outros agravantes como, por exemplo: Aumento de peso corporal, diabetes, alterações na pressão arterial e problemas ortopédicos como osteoporose e osteoartrite, fazendo com que até as atividades mais simples do dia a dia se tornem intensas e ofereçam um risco para elas a tal ponto de torná-las cada vez mais dependentes dos seus familiares. Portanto, uma melhora da força em mulheres de idade avançada é essencial como prevenção a qualquer tipo de debilidade física e principalmente para as que já apresentam um quadro de fraqueza em conseqüência da perda acentuada de massa muscular, evitando inclusive as freqüentes quedas que algumas idosas sofrem. A manutenção dos músculos é de fundamental importância em virtude da efetiva participação dos mesmos aos atos de subir escadas, sentar e levantar da cadeira ou cama, carregar objetos, estender roupas, vestir-se, ou até mesmo para caminhar. A musculação é, sem dúvida, uma das atividades mais indicadas para as mulheres com mais idade, em razão da facilidade do controle dos exercícios e da intensidade durante o treinamento, além de sua prescrição ser individual, o que facilita que se façam os ajustes necessários de acordo com as necessidades de quem pratica. Quando falamos das pessoas que se encontram na melhor idade, pode-se dizer que a musculação teria como finalidade a melhora da qualidade de vida e não a prática esportiva, por isso juntamente com um trabalho de força devemos realizar exercícios que melhorem a capacidade cardiorrespiratória e flexibilidade tendo uma ênfase em trabalhos que envolvam o equilíbrio. A intensidade deve ser moderada evitando cargas exageradas, exercícios isométricos intensos, bloqueios respiratórios e intervalos muito curtos que causarão uma elevada alteração na freqüência cardíaca e um volume de treinamento elevado com pouco tempo de recuperação. Dentre os benefícios da prática de musculação para esse público, podemos citar:

  • Aumento da força e potência;
  • Aumento da massa magra;
  • Autonomia funcional;
  • Melhora da autoestima;
  • Melhora do equilíbrio e da marcha;
  • Prevenção de quedas;
  • Redução e controle de peso;
  • Melhora nos quadros de artrite reumatóide e osteoartrite
  • Melhora na densidade mineral óssea;
  • Melhora na circulação;
  • Melhor controle da glicemia;
  • Melhora do no índice de colesterol e triglicerídeos;
  • Controle da pressão arterial de repouso;
  • Melhora da função pulmonar.

Fonte: Folha da Mulher